Publicado por Katharyne Bezerra

Já imaginou uma banana madura que fica vermelha e uma maçã de cor amarela? Parece surreal, mas é possível de acontecer, caso os cientistas achem válida essa modificação. Na época da tecnologia, a engenharia genética consegue modificar a estrutura dos organismos fazendo com que eles tenham características de outros seres, e em alguns desses casos a possibilidade dessas alterações ocorrerem naturalmente é inviável.

Chamamos esses seres vivos que foram modificados pelos engenheiros de Organismos Geneticamente Modificados (OGM). Esse assunto levanta diversos debates entre os estudiosos e ambientalistas. Há quem seja a favor e apresente os benefícios dessa tecnologia, mas também tem quem fique contra esse processo e justifica pelas incertezas e prejuízos causados por essa modificação.

Organismos geneticamente modificados

Foto: Reprodução/ internet

Como surgem os OGM’s?

Os seres vivos possuem em seus materiais genéticos substâncias como ácido desoxirribonucleico (ADN) e ácido ribonucleico (ARN), essas estruturas possuem todas as características adquiridas hereditariamente transmissíveis à descendência. A função dos engenheiros genéticos é recombinar esses caracteres de um organismo para outro, criando variedades de indivíduos geneticamente modificáveis que não seria viável de forma natural.

Existem duas formas de fazer esse processo: pela recombinação genética de seres da mesma espécies e quando ocorre entre espécies diferentes. Nesse último caso, os produtos finais de organismos modificados recebem o nome de transgênicos. As alterações feitas no interior dos seres vivos são, em sua maior escala, realizadas em plantas que servem de alimento para os seres humanos. Por exemplo, soja, milho, batata etc.

Benefícios e malefícios dos alimentos transgênicos

Como tudo na vida, os organismos geneticamente modificados têm seu lado positivo e o negativo. Enquanto os cientistas afirma que esses alimentos são saudáveis para os seres humanos, ecologistas alertam para os problemas que eles podem causar para os consumidores. Como essa tecnologia ainda é recente, os resultados desses produtos à saúde humana só serão visíveis daqui a alguns anos. Porém, de acordo com os especialistas do assunto esses pontos devem ser levados em consideração:

Aspectos negativos

  • Levando em consideração à seleção natural, as plantas geneticamente modificadas irão acabar com as que não sofreram mudanças, pois elas são mais resistentes e adaptáveis;
  • Causam desequilíbrio na natureza, tendo em vista que animais como borboletas, minhocas, abelhas e outros estão morrendo cada vez mais;
  • Os alimentos deixarão de ser naturais. Para se ter uma ideia, alguns ambientalistas chamam esses alimentos de frankenfood, uma mistura de Frankisten (monstro criado em laboratório) e food (comida em inglês);
  • Aumento de alergias ou outras doenças que são desconhecidas e, por isso, não serão combatidas de imediato.

Aspectos positivos

  • Aumento da produção de alimentos, mesmo sem aumentar a área de cultivo;
  • Resistência às pragas, não sendo necessário o uso de agrotóxicos;
  • Maior durabilidade dos alimentos e mais economia;
  • Alimentos mais nutritivos.

Veja mais!