Publicado por Débora Silva

Você já deve ter ouvido ou mesmo exclamado a seguinte frase: “Português é muito difícil!” Não é uma frase curiosa? Ainda que sejamos falantes nativos do idioma, às vezes, nos confundimos com tantos detalhes da língua e acabamos cometendo erros.

Com tantos detalhes, é normal que nós, falantes da Língua Portuguesa, vez ou outra nos esqueçamos de algumas regras gramaticais da norma culta, que são importantes e exigidas nos estudos e no trabalho.

Neste artigo, confira alguns erros gramaticais que você não deve cometer.

Erros gramaticais que não se deve cometer

Os erros gramaticais que nunca se deve cometer

Foto: Pixabay

O nosso idioma é cheio de detalhes e nem sempre acertamos as regras gramaticais. Por isto, é muito importante continuar com os estudos sobre as normas cultas da língua. Confira uma lista de sete erros que você não deve cometer nunca:

Erro 1 – “Entre eu e você”: “Eu” é pronome pessoal do caso reto e só deve ser usado na função de sujeito de uma oração.
Errado: Entre eu e você há muita compreensão.
Certo: Entre mim e você há muita compreensão.

Erro 2 – “Tem”/“Têm” – “Tem” refere-se à terceira pessoa do singular do verbo “ter”; já “têm” faz referência à terceira pessoa do plural do mesmo verbo.
Errado: Os alunos tem conversado muito durante as aulas.
Certo: Os alunos têm conversado muito durante as aulas.

Erro 3 – “De mais”/“demais”: “De mais” é o oposto de “de menos”; já “demais”, grafado junto, significa excesso.
Errado: Meu irmão chora de mais.
Certo: Meu irmão chora demais.

Erro 4 – “Fim de semana”/“final de semana”: “Final” é antônimo de “inicial; e “fim” é o contrário de início.
Errado: Ela nos desejou um bom final de semana.
Certo: Ela nos desejou um bom fim de semana.

Erro 5 – “Assistir o”/“Assistir ao”: Quando se refere a “ver”, o verbo assistir exige a preposição “a”.
Errado: Meus pais me deixaram assistir o filme que está em exibição no cinema.
Certo: Meus pais me deixaram assistir ao filme que está em exibição no cinema.

Erro 6 – “Obrigado”/“Obrigada” – A palavra “obrigado” é um adjetivo e, por este motivo, deve concordar em número e gênero com o nome a ele relacionado.
Errado: Ele disse “obrigada” a ela.
Certo: Ele disse “obrigado” a ela.

Erro 7 – “Menas” – A palavra “menas” não existe na Língua Portuguesa.
Errado: Agora há menas pessoas no centro da cidade.
Certo: Agora há menos pessoas no centro da cidade.

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas). 

Veja mais!