Publicado por Débora Silva

A política do pão e circo é como ficou conhecida a maneira com a qual os governantes de Roma lidavam com a população para conquistar o seu apoio e mantê-la sempre satisfeita, com o provimento de comida e diversão ao povo. Essa expressão tem origem no latim panis et circenses e apareceu na Sátira X do humorista e poeta romano Juvenal, que viveu por volta do ano 100 d.C.

Pão e circo em Roma

Foto: Reprodução

O contexto social de Roma

Com a sua expansão, o Império Romano tornou-se um estado rico e cosmopolita, tendo a capital Roma como o centro dos acontecimentos sociais, culturais e políticos.

Embora fosse um estado rico, apenas uma pequena parcela da população detinha muita riqueza, enquanto a maioria dos romanos vivia em péssimas condições de vida nas cidades, na pobreza, exploradas em seus empregos com muito trabalho braçal e habitações com espaço reduzido com pouco ou nenhum saneamento básico.

Para evitar as revoltas sociais que podiam surgir como consequências dessa situação de desigualdade, os imperadores romanos criaram a política do pão e circo.

As características da política do pão e circo

Na política do pão e circo, o Estado Romano distribuía gratuitamente (ou a preços baixos) o trigo e entretinha a população com atividades de lazer gratuitas.

A alimentação da população pobre de Roma era precária, composta por pão de má qualidade e azeite, e eram de difícil aquisição; enquanto isso, as classes ricas realizavam grandes banquetes. Com a distribuição gratuita de cereais, os governantes romanos pretendiam conter as revoltas que aconteciam por este motivo. A distribuição dos cereais ocorria mensalmente no Pórtico de Minicius.

Especialmente no tempo do Império, os governantes construíam enormes arenas onde eram realizados espetáculos sangrentos, como os combates entre gladiadores; animais ferozes, bigas, quadrigas, acrobacias, espetáculos com palhaços, artistas de teatro, corridas de cavalos, dentre outros. Dentre as diversões preferidas dos romanos estavam as corridas de carros puxados por cavalos (bigas ou quadrigas) e as manobras militares, corridas de pedestres e as lutas dos gladiadores.

O Coliseu de Roma é um dos principais símbolos da política do pão e circo, já que as lutas dos gladiadores geralmente ocorriam neste local e em outros anfiteatros.

Para a realização dos espetáculos, aproximadamente 182 dias no ano eram reservados e, dessa forma, as classes dominantes buscavam conter os ânimos e as rebeliões da população pobre.

Veja mais!