Publicado por André Luiz Melo

O método de poluição radioativa é considerado o mais perigoso e capaz até de levar o ser humano à morte. Vide o caso da bomba nuclear, também conhecida como atômica, que em 1945 em Nagasaki, no Japão, causou a morte de milhares de pessoas. Todavia, engana-se quem pensa que os poluentes radiativos estão presentes apenas em armas nucleares.

Esse tipo de contaminação é proveniente do efeito químico gerado a partir de ondas de energia como calor, luz, entre outras. Todos esses são classificados como radiação. Em excesso, o efeito da radiação pode desenvolver no ser humano doenças como câncer, perda de cabelo, leucemia, entre outros transtornos.

Poluentes radioativos e seus riscos

Foto: Reprodução

Tipos de radioatividade

Esse método poluidor pode ser disseminado a partir de usinas nucleares, aquelas que produzem energia a partir da fissão radioativa, como também através de agentes bacteriológicos como adubos, entre outros compostos que, se não utilizados ou acondicionados corretamente, acabam liberando gases e outros componentes químicos com elevados níveis de radicação.

Além, claro, das partículas radioativas, essas que são liberadas por usinas e outros métodos de fissão que acabam provocando uma contaminação por meio da radiação artificial.

O grande perigo da contaminação radioativa está no fato de ela ser irreparável. Diferentemente de outras formas de poluição, uma vez difundido o contágio da radiação não há como reverter ou mesmo limpar ou ainda se purificar contra os efeitos danosos.

Agentes poluidores

Os considerados como principais poluentes radioativos são iodo 131, plutônio 239, estrônico 90, urânio, cobalto e cálcio. Se operados em quocientes controlados não se tornam nocivos ou artificiais, mas em excesso são capazes de provocar efeitos danosos e irremediáveis.

Estrônico 90

Um dos poluidores radioativos mais perigosos, este componente pode provocar sérios danos ao organismo se ingerido. A radioatividade disseminada pelo estrônico 90 pode modificar a atividade da medula óssea na formação de células sanguíneas, isso devido o seu alojamento nos ossos. Esse efeito pode causar leucemia ou anemia.

Iodo 131

Já este agente pode causar irreversíveis processos de cancerização na tireoide, glândula a qual o mesmo se aloja com maior predominância e facilidade.

Efeitos benéficos

Apesar dos danos nocivos e irremediáveis que muitos componentes radioativos causam, existem aqueles que podem ser úteis e até valiosos para o ser humano. É o caso do césio 137 e do cobalto 60. Esses agentes são predominantemente empregados no tratamento de tumores cancerosos e também no combate a insetos prejudiciais à agricultura.

Veja mais!