Publicado por Prof. Luana Polon

A poluição do solo, apesar de não ser muito discutida, existe e causa consequências na qualidade de vida dos que dependem do solo.

A camada mais externa da crosta terrestre é chamada de solo. O solo é onde os seres humanos pisam e plantam seus alimentos, onde são construídos os prédios e as casas.

Assim, entende-se que o solo é muito importante para a vida de vários seres vivos, desde as plantas e animais, até os seres humanos. Ele está na base de toda vida e de todas as atividades humanas.

Apesar de sua importância, o solo também sofre com a ação humana. E existem várias formas de poluição.

A poluição do solo é quando ele fica cheio de lixo e substâncias tóxicas, que podem prejudicar a vida dos seres que dependem do solo para viver. Essa poluição é provocada principalmente pelas atividades do ser humano que vêm destruindo a natureza cada vez mais rapidamente.

Homem estudando solo

A degradação do solo acontece, principalmente, pela ação do homem (Foto: depositphotos)

Existem medidas que podem ser tomadas para evitar que a degradação do solo se intensifique, bem como para recuperar solos que já sofreram degradação pelas ações humanas.

Como acontece a poluição do solo?

Lixo

Quando os seres humanos produzem muito lixo e jogam em algum lugar inapropriado, esse lixo não será recolhido, e ficará lá por vários e vários anos em processo de decomposição.

Quando o lixo é decomposto, ele se transforma em um líquido extremamente poluente chamado de chorume. O chorume, além de tóxico, produz um cheiro muito desagradável.

O chorume penetra no solo, deixando ele todo infectado, e impossibilitando que plantas e animais que vivam neste solo consigam extrair os nutrientes necessários para sobreviver.

Agrotóxicos

Outro problema causado pelas atividades humanas é o uso dos agrotóxicos e pesticidas, os quais são aplicados para deixar a plantação livre de pragas.

Esses produtos, além de matarem todas as formas de microrganismos ali existentes, ainda intoxicam as plantas, e os animais que comerem essas plantas, podendo levá-los até a morte.

Há vários estudos, inclusive, que associam doenças humanas (como o câncer) com o uso de agrotóxicos na produção agrícola.

Metais pesados

Há ainda um outro tipo de contaminação dos solos, que é causada pelos metais pesados. Alguns dos principais metais pesados usados pelos seres humanos são sódio, potássio, bário, cálcio, ferro, zinco, cobre, níquel, magnésio, arsênio, chumbo, cádmio, mercúrio, alumínio, titânio, estanho, tungstênio, cromo, cobalto e manganês.

Estes estão presentes nos processos produtivos, nos equipamentos, máquinas, medicamentos e suplementos, dentre outros. Quando lançados no meio ambiente, têm um alto poder de contaminação dos solos.

Veja tambémAgricultura orgânica: um sistema de produção natural

Esgoto

O inadequado ou inexistente tratamento de esgoto também é um problema sério relacionado ao solo. Como esgoto entende-se a água do banho, limpeza de roupas, louças ou descarga do vaso sanitário, atividades cotidianas humanas.

Este esgoto precisa de tratamento, no entanto, cerca de apenas 45% do esgoto do Brasil é tratado. O restante é lançado no meio ambiente sem os devidos cuidados. Com isso, os solos são contaminados, podendo haver a proliferação de várias doenças.

Como a poluição do solo influencia na poluição dos lençóis freáticos?

Como lençol freático entende-se um reservatório de água existente abaixo da superfície terrestre, ou seja, abaixo dos solos. Quando os solos estão contaminados, eles podem contaminar as águas do lençol freático.

Parte da água das chuvas escoa superficialmente pelos solos, mas uma boa parte infiltra nos solos. Quando essa água infiltra, carrega consigo os elementos que podem contaminar as águas.

Os lençóis freáticos foram formados pelo acúmulo de água nas porções porosas e fendas existentes nas rochas da crosta terrestre. Essa água doce sofre com a poluição causada pelos seres humanos nos solos.

Relação entre desmatamento e poluição dos solos

Há uma relação direta entre a qualidade dos solos e a vegetação. Um solo que não está coberto por plantas, fica exposto aos diversos tipos de degradação.

Quando o solo está exposto, ele sofre com a intensidade das águas das chuvas, as quais carregam embora os nutrientes. Esse processo é chamado de lixiviação. Assim, um solo lixiviado é um solo que sofreu um processo de perda de nutrientes, foi “lavado” pelas águas das chuvas.

Água suja

Quando chove, parte da água se infiltra no solo, levando consigo as impurezas do solo (Foto: depositphotos)

A vegetação funciona como uma proteção ao solo, pois ela reduz o impacto das águas nos solos. Além disso, com a cobertura vegetal, é menor a infiltração da água no solo, levando menos elementos tóxicos do solo para o lençol freático.

Ainda, a presença de vegetação funciona como uma fonte de nutrientes aos solos, os quais aumentam sua qualidade por conta da matéria orgânica proveniente das plantas.

Arenização e Desertificação

A arenização e a desertificação são dois importantes danos ocasionados aos solos, e que causam sérios problemas ao meio ambiente. Estes dois processos acontecem em regiões com climas diferentes.

A desertificação acontece em locais com climas áridos, onde o regime de chuvas é bastante baixo. Ou seja, não há umidade nos solos, e consequentemente a vegetação é escassa. Já a arenização acontece em locais onde houve a retirada da vegetação sobre os solos, ficando estes expostos às intempéries (vento, chuvas).

Estes solos vão empobrecendo, tornando-se bastante arenosos e sem vegetação. A arenização ocorre em locais onde as precipitações podem ser relativamente elevadas.

A desertificação é mais comum no Nordeste brasileiro, já a arenização acontece no Sul do Brasil, na região da Campanha Gaúcha, pelo pisoteio dos animais (bovinos) sobre o solo.

Veja também: Tipos de solo do Brasil

Como prevenir a poluição do solo

  • Tratamento do lixo e dos resíduos domésticos e industriais.
  • Descarte do lixo no local correto (orgânicos, reciclados, contaminantes, etc.).
  • Proteção das áreas florestais, mantendo a cobertura dos solos.
  • Uso de materiais recicláveis e preferência por produtos ecologicamente corretos sempre que possível.
  • Colaboração no processo de reciclagem de materiais como vidro, papel, alumínio e plásticos, especialmente pela separação adequada destes.
  • Dar preferência para alimentos produzidos sem uso de agrotóxicos.
  • Cobrar os responsáveis pela implantação do sistema de tratamento de esgoto.

Curiosidades

A Organização das Nações Unidas – ONU – decretou 2015 como o Ano Internacional dos Solos, tendo como objetivo a conscientização social para a importância deste recurso natural imprescindível para a vida na Terra.

*Luana Polon é Mestre em Geografia pela Unioeste, Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU).

Referências

COELHO, Maurício Rizzato [et.al]. Solos: tipos, suas funções no ambiente, como se formam e sua relação com o crescimento das plantas. EMBRAPA. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/94212/1/Ecossistema-cap3C.pdf. Acesso em 04 dez. 2018.

Veja mais!