Publicado por Katharyne Bezerra

Todo mundo deveria saber quais os perigos das carnes processadas como bacon e salsicha para a saúde. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse tipo de alimento é maléfico ao organismo humano.

A Agência Internacional para a Pesquisa sobre Câncer (IARC), vinculada à OMS, afirma que carnes processadas e vermelhas são consideradas cancerígenas. Por isso, profissionais ligados à saúde humana recomendam a diminuição no consumo desses produtos.

Mas, como os pesquisadores chegaram a essa conclusão? Ou melhor, o que é carne processada e como ela é feita? E, quais são as carnes processadas? Essas e outras questões podem ser respondidas nesse artigo.

Pesquisa aponta os perigos das carnes processadas para saúde

Em relatório divulgado pela OMS em 2015, estudiosos classificaram carnes processadas como cancerígenas. Para chegar nessa conclusão, foi preciso uma revisão completa da literatura acumulada dos pesquisadores.

Além de cancerígena, a carne vermelha e a processada aceleram o envelhecimento celular

A carne processada é um produto que é transformado por muitas etapas (Foto: depositphotos)

Além disso, uma equipe formada por 22 especialistas de 10 países foi convocada para o estudo envolvendo a carne processada e a vermelha.  Assim, os estudiosos classificaram “o consumo de carne vermelha como provavelmente carcinogênico para humanos”.

Segundo os estudiosos, inicialmente o consumo dessas carnes foi associado ao câncer colorretal. Contudo, outras associações também foram observadas como o câncer de pâncreas e câncer de próstata.

“Cada porção de 50 gramas de carne processada ingerida diariamente aumenta o risco de câncer colorretal em 18%”, afirma o estudo feito pela IARC.

Em relato, o médico e chefe do Programa de Monografias do IARC, Kurt Straif, afirma que o estudo levou em consideração diversos tipos de sociedades.

“Para um indivíduo, o risco de desenvolver câncer colorretal por causa de seu consumo de
carne permanece pequeno, mas este risco aumenta com a quantidade de carne consumida ”, diz o Dr. Kurt Straif.

Veja tambémHá risco de câncer a partir das carnes processadas?

Além dos resultados apontados pela IARC, especialistas em alimentação e nutrição apontam outros malefícios desses produtos.

Malefícios da carne processada

De acordo com o nutrólogo André Luiz Baylão, existem outros malefícios da carne processada. Além de causar câncer, esse produto pode “acelerar o envelhecimento celular em humanos. Isto porque o consumo destes produtos leva a um aumento considerável de radicais livres, deletérios ao organismo.”

Já segundo o nutrólogo Francisco Bernardi, esse tipo de alimento possui substâncias que provocam outro problema de saúde: a asma.

Isso porque, as carnes processadas levam em sua composição um conservante chamado de nitrito. Para o médico, ele “é um dos grandes responsáveis pelo comprometimento das vias respiratórias. Fazendo com que muitas vezes, as pessoas sintam falta de ar, chiados e sensação de aperto no peito.”

Mas afinal, o que é carne processada?

Na publicação feita pela OMS, a carne processada é um tipo de produto que é transformado por muitas etapas. “A maioria das carnes processadas contém carne de porco ou carne bovina, mas carnes processadas também podem conter outras carnes vermelhas, aves, miudezas ou subprodutos de carne, como sangue”, explica os especialistas.

Veja também: 8 de abril: Dia Mundial de Combate ao Câncer

Assim, pode-se dizer que é uma carne transformada através dos seguintes processos: salga, cura, fermentação, tabagismo. Além desses, outros processos podem ser colocados em prática com o intuito de melhorar o sabor ou a preservação.

“São os produtos feitos a base de carne os quais receberam aditivos químicos como nitritos, nitratos, conservantes e sal com o objetivo de aumentar o prazo de validade ou intensificar e melhorar o sabor”, afirma a nutricionista Elisa Berkenbrock.

Quais são as carnes processadas?

São vários os tipos de carnes processadas. E, muitas delas se fazem presente nas refeições diárias dos brasileiros. Alguns exemplos são:

  • Salsichas;
  • Presunto;
  • Carne de hambúrguer;
  • Carne enlatada;
  • Carne seca;
  • Bacon;
  • Salame;
  • Linguiça;
  • Planquet de peru;
  • Preparados à base de carne e molhos.

Carnes processadas: comer ou não?

O consumo da carne processada deve ser evitado ou eliminado

Deve-se incluir carne vermelha na dieta, porque é uma boa forma de obter nutrientes essenciais (Foto: depositphotos)

Mesmo diante dos resultados da pesquisa, o médico e diretor do IARC, Christopher Wild, afirma que é preciso bom senso. Isso significa dizer que os consumidores precisam colocar a saúde em primeiro lugar, mas sem abrir mão de nada.

“Ao mesmo tempo, a carne vermelha tem valor nutricional. Portanto, estes resultados são importantes para permitir que governos e agências reguladoras internacionais conduzam avaliações, a fim de equilibrar os riscos e benefícios de comer carne vermelha e carne processada e fornecer as melhores recomendações dietéticas possíveis”, conclui Wild.

De acordo com o porta-voz da Associação Dietética Britânica, Frankie Phillips, a carne vermelha também tem seus benefícios. “Ainda devemos incluir a carne vermelha na dieta, porque é uma boa forma de obter nutrientes essenciais“, afirma na BBC Brasil.

Contudo, apesar da carne vermelha ganhar espaço nos pratos brasileiros, especialistas recomendam a diminuição das opções processadas.

Veja também: Conservantes, substância usada para fazer os alimentos durarem

“O ideal é excluir estes alimentos da alimentação e optar por carnes vermelhas e brancas vendidas como peças e não processados/embutidos”, alerta o nutrólogo Bernardi.

E, ao mesmo tempo em que a carne processada perde espaço, outros alimentos devem ganhar uma oportunidade nos pratos brasileiros.

Por exemplo, deve-se aumentar o consumo de vegetais verdes, frutas, legumes, ervas e especiarias. Todos esses itens podem contribuir na minimização dos efeitos nocivos dos alimentos processados.

“Manter hábitos saudáveis como uma dieta rica em verduras, legumes e frutas irão lhe proporcionar mais longevidade e qualidade de vida, com menos doenças. Deem preferência aos alimentos in natura, não processados industrialmente. Uma opção saudável é o atum ou a sardinha, são proteínas de alta qualidade e que contém vitaminas e minerais”, indica Baylão.

Outras opções de alimentação

Como já visto, o consumo de carne processada não é indicada pelos profissionais de saúde. Mas os médicos costumam recomendar o uso de outros tipos de carne, como: frango, peixe e aves.

Contudo, além dessas opções há ainda alternativas de alimentação que não são compostas por carnes. Chamadas dietas vegetarianas e veganas, esses estilos de vida são considerados boas opções para a saúde.

“Dietas vegetarianas ou veganas corretamente planejadas são saudáveis, adequadas em termos nutricionais trazem benefícios para a saúde na prevenção e no tratamento de determinadas doenças”, revela a Associação Dietética Americana e Nutricionistas do Canadá.

Além de evitar os perigos das carnes processadas – como bacon, salsicha, hambúrguer – para a saúde, as dietas vegetarianas e veganas são planejadas de forma ecológica e mais humanitária. Isso porque, não visam os animais como comida e também lutam a favor das questões ambientais.

Veja mais!