Publicado por Débora Silva

Até o dia 15 de novembro de 1889, data da proclamação da República, o Brasil era um império, sendo controlado pelo imperador. A partir da proclamação da República, o país se transformaria em um governo republicano, tendo o presidente como a maior autoridade política, escolhido através do voto da população brasileira. República Velha (também chamada de Primeira República Brasileira) foi o período da história do Brasil que começou com a proclamação da República e se estendeu até a Revolução de 1930. Os historiadores dividem a República Velha em dois períodos: a República da Espada e a República Oligárquica.

República Velha

Foto: Reprodução

A República da Espada

A República da Espada ficou conhecida por este nome porque os dois primeiros presidentes do nosso país foram militares: os marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Este primeiro período da República Velha vai do dia da Proclamação da República do Brasil até a eleição do primeiro presidente civil. A primeira constituição, de 1891, foi elaborada durante a República da Espada, com o objetivo de dar uma direção às ações institucionais deste período.

O período da República da Espada foi marcado por um viés mais centralizador do poder (principalmente pelo medo da volta da Monarquia e para evitar uma possível divisão do país), por crises econômicas (como a do Encilhamento) e por conflitos entre as elites do país, como a Revolta da Armada e a Revolução Federalista.

A República Oligárquica

O segundo período da República Velha ficou conhecido como República Oligárquica, compreendendo o período entre 1894 e a Revolução de 1930. A principal característica deste período foi o poder nas mãos das elites regionais, especialmente das forças políticas de São Paulo e Minas Gerais, que se revezavam na presidência. Esse controle político exercido pela oligarquia paulista e pela elite mineira ficou conhecido como “política do café com leite”, por causa da importância econômica da produção do café no estado de São Paulo e a produção de leite no estado de Minas Gerais.

A República Oligárquica também ficou marcada pelo desenvolvimento de um forte coronelismo, que dava poder político regional às elites locais do Brasil. Outra importante característica deste período é a produção do café para a exportação, que garantiram o começo do processo de industrialização na região Sudeste.

Fim da República Velha

A República Velha teve o seu fim com a crise das oligarquias rurais e a crise econômica mundial, que atingiram a produção de café, muito importante na época. Além disso, houve a insatisfação com a eleição de Júlio Prestes, em 1930. A Revolução de 1930 derrubou os fazendeiros paulistas do poder, dando fim à República Velha e início à Era Vargas.

Veja mais!