Publicado por Robson Merieverton

O tatu-bola é uma espécie de mamífero que pertente a gênero Tolypeutes, conhecidas como tatu-bola-da-caatinga, bola, bolinha, tranquinha, mataco, tatuapara, apara e apar, esses três último, dependendo da região onde é encontrado. Essa espécie é bastante comum na Caatinga e Cerrado brasileiro.

Dentre as demais espécies identificadas no Brasil, o tatu-bola é a menor e menos conhecida. Devido a sua distribuição restrita, o animal foi encontrado em 12 estados brasileiros: Bahia, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Piauí, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Tocantins, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Quanto as suas características físicas, o tatu-bola possui cerca de 50 cm de comprimento. Geralmente ele assume coloração marrom anegrada e três cintas móveis ao longo do corpo. A presença de cinco unhas nas patas anteriores é a principal diferença entre os animais da espécie Tolypeutes tricinctus e a T. matacus.

Tatu-bola, espécie ameaçada da fauna brasileira

Foto: depositphotos

São os únicos tatus capazes de se enrolar completamente dentro da carapaça, assumindo o formato de bola, sobretudo quando se sentem ameaçados, o que protege as partes moles de seu corpo contra o ataque de predadores.

O tatu-bola possui hábitos noturnos e se alimenta principalmente de formigas e cupins, além de areia, cascas e raízes. No período de acasalamento, uma mesma fêmea pode se relacionar com mais de um macho. Elas geram um ou até dois filhotes por ninhada, que nascem completamente formados.

Desafios da espécie

A ação do homem, sobretudo no que diz respeito a ocupação do habitat dessa espécie, assim como a caça, vêm sendo vista como a principal causa da sua extinção. Atualmente, a espécie é considerada como Ameaçada pela Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção, do Ministério do Meio Ambiente.

Ela também está enquadrada como vulnerável pela Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (2007) e pelo Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção, da Biodiversitas (2008). Estima-se que a extinção da espécie possa ocorrer em médio prazo.

Campanha

Com o intuito de conscientizar a população a respeito do tatu-bola, assim como fazê-lo ser conhecido pelas novas gerações, o animal serviu de inspiração para a concepção do mascote da Copa do Mundo da FIFA de 2014, que aconteceu no Brasil.

A Associação Caatinga, entidade sem fins lucrativos que trabalha pela preservação do bioma caatinga, localizado no Nordeste brasileiro, foi a grande responsável pela campanha para a escolha do tatu-bola como mascote.

Veja mais!