Publicado por Priscila Melo

Cada dia que passa a população aumenta, e consequentemente o consumo de água, energia, alimentos e muitas outras coisas aumentam. Sabemos que alguns recursos naturais não são renováveis, dessa forma passam a surgir diversas dúvidas: Será que a população possui recursos suficientes para suprir suas necessidades? Como a população cresce tão rapidamente? E de acordo com esses questionamentos e muitos outros acabaram surgindo teorias que pudessem respondê-las. Essas teorias são chamadas de teorias demográficas. Conheça cada uma delas agora.

Teorias demográficas

Foto: Reprodução

Teoria Malthusiana

A primeira teoria foi criada no século XIX, por Thomas Robert Malthus, um economista inglês. De acordo com ele a população mundial cresceria em um ritmo rápido e a produção de alimentos cresceria de forma mais lenta, desta forma não haveria alimento suficiente para as pessoas. Sendo assim, de acordo com a teoria Malthusiana, ao final de aproximadamente duzentos anos o crescimento da população seria 28 vezes maior do que o crescimento da produção de alimento, os homens estariam condenados a passar por vários problemas como a subnutrição, fome, doenças, epidemias, entre outros fatores.

Para tentar resolver esse problema, Malthus propôs uma solução para o problema entre a população e a quantidade de alimentos, ele a chamava de “controle moral”. Neste as pessoas deveriam ter uma postura diferente, na qual não teriam práticas sexuais, diminuindo assim o número de nascimentos e equilibrando o crescimento da população e aumentando a produção de alimentos.

Mas as tecnologias passaram a avançar nas produções agropecuárias e industriais. Esse avanço fez com que a produção de alimentos se tornasse muito maior que o número de habitantes no mundo, e foi comprovado que a teoria de Malthus estava errada.

Teoria Neomalthusiana

Essa teoria teve início nas primeiras décadas do século XX e é baseada na teoria de Malthus. Os neomalthusianos passaram a observar a aceleração populacional de outra forma, e acreditavam que se esse crescimento não parasse os recursos naturais se esgotariam rapidamente. Com este pensamento, eles passaram a criar propostas que pudessem controlar o crescimento populacional. Entre essas propostas foram criados e adotados métodos contraceptivos.

Atualmente há países que adotam esses métodos para controlar a quantidade da população distribuindo camisinhas, vendendo anticoncepcionais sem a necessidade de receitas médicas e outros.

Teoria reformista

A teoria reformista é completamente contrária às teorias de Malthus e a neomalthusiana. Nesta teoria acredita-se que o problema da fome e da miséria no mundo não é a falta de comida para a população, e que o problema também não é devido a quantidade de pessoas. O real problema seria causado pela má distribuição de renda, pois há uma grande desigualdade econômica.

Para que a miséria e a fome pudessem ter fim, de acordo com a teoria reformista, seria necessária uma distribuição de renda de forma justa para toda população. Melhorando assim as condições de vida da população mais pobre e consequentemente não haveria miséria e nem pessoas passando fome.

Veja mais!