Publicado por Débora Silva

O terremoto, também chamado de sismo ou abalos sísmicos, é um fenômeno natural que ocorre devido aos movimentos no núcleo do Planeta Terra, ocasionando tremores passageiros na superfície terrestre. Os abalos sísmicos são principalmente provocados pelo encontro de placas tectônicas, mas também podem acontecer por outros fatores, tais como atividade vulcânica e falhas geológicas.

Terremoto

Foto: Reprodução

Como ocorre um terremoto?

A crosta terrestre, a parte mais externa do nosso planeta, é uma camada rochosa formada por vários blocos, que são denominados placas tectônicas ou placas litosféricas. Estes gigantescos blocos flutuam sobre um líquido pastoso e muito quente, o magma, e estão em constante movimento, podendo se afastar (zona de divergência) ou se aproximar (zona de convergência). Quando estas placas se encontram, há a produção de acúmulo de pressão e descarga de energia, o que origina o terremoto.

O local em que os terremotos surgem no interior da Terra é chamado de hipocentro, e a região na superfície terrestre onde eles se manifestam primeiramente é chamada de epicentro.

Os abalos sísmicos que ocorrem em locais no oceano podem provocar os tsunamis, que são as ondas gigantes que invadem o litoral de alguns países e provocam grande transtorno e destruição.

Em quais territórios do planeta ocorrem terremotos?

A maior parte dos terremotos é de baixa intensidade e, por isso, dificilmente são sentidos pela população; no entanto, existem certas regiões que possuem maior tendência a sofrer abalos de grande intensidade. Isto ocorre porque esses lugares estão localizados justamente em zonas de convergência de placas tectônicas, especialmente nos limites das placas. Os territórios localizados nesse limite receberão um abalo muito maior do que uma porção de terra localizada em qualquer outra região das placas.

Dentre os países que estão nesta situação, podemos citar os seguintes: Japão, Chile, México, Indonésia, Índia, China, Filipinas, Papua Nova Guiné, Haiti, Estados Unidos da América, Turquia e outros.

O Brasil não tem propensão a sofrer grandes abalos, pois está distante da zona de encontro entre duas ou mais placas tectônicas. Até hoje, o terremoto de maior intensidade de que se tem notícia foi o de Valdívia, no Chile, ocorrido no ano de 1960.

A magnitude de um terremoto

Ao assistir ou ler alguma notícia sobre um terremoto, você deve ter se deparado com a seguinte expressão “um terremoto de magnitude ‘x’ na escala Richter atingiu…” Mas, o que quer dizer “magnitude de um terremoto”?

A magnitude é a quantidade de energia liberada no foco do terremoto e é medida a partir da escala Richter, que vai de 1 (muito fraco) a 10 (muito forte). Para realizar essa medição, utiliza-se um aparelho denominado sismógrafo.

Veja mais!