Publicado por Tailane Paulino

Você sabe por que no Brasil não existe mais trem? Saiba aqui neste post a resposta para esta pergunta e ainda onde foi construído o primeiro trem do país e como estão as ferrovias atualmente.

A maior parte do transporte de carga no Brasil é feito pelas rodovias espalhadas por todo o país. O uso do transporte ferroviário é pouco e centrado em algumas cidades da região sudeste. Hoje, eles geralmente são utilizados para o transporte de cargas maiores, como grãos e combustíveis.

O Brasil é considerado o único país continental, ou seja, o que possui o tamanho de um continente inteiro, que não utiliza uma malha totalmente integrada de ferrovias.

Apenas para exemplificar, os Estados Unidos, país que tem quase o mesmo território que o nosso, possui cerca de 200 mil quilômetros de ferrovias.

Os trens quase não existem mais no Brasil devido a falta de investimento em malha ferroviária

As ferrovias no Brasil são responsáveis pelo transporte de apenas 15% da carga nacional (Foto: depositphotos)

No Brasil, há apenas cerca de 8 mil quilômetros de ferrovias funcionando. Desse número, quase toda a extensão é centrada em apenas uma pequena área do território. Mas, por que isso acontece? Saiba mais aqui.

Sabe por que não existe mais trem no Brasil?

Não existem mais trens no Brasil por causa do plano de governo de 1950. O plano do presidente da época, Juscelino Kubitscheck, era fazer o país crescer 50 anos em 5. Dessa maneira, as ferrovias ficaram de fora do papel por serem mais demoradas e caras para se construir do que as estradas.

Outro motivo para o pouco investimento no transporte ferroviário, foi as exigências de empresas automobilísticas, para que pudesse se fixar no Brasil. Dessa maneira, foi preciso aumentar os investimentos no transporte rodoviário e, com isso, também a construção de estradas.

Essa foi uma forma de garantir o investimento de capital estrangeiro, que era necessário para o plano de crescimento do país. 

Veja também: No 30 de abril se comemora o Dia do Ferroviário

Por que as ferrovias se acabaram no Brasil?

Trens de carga são algo raro de se ver no Brasil atualmente. Apenas algumas linhas ainda funcionam. Elas servem, geralmente, para o transporte de cargas muito grandes, como grãos e até mesmo combustíveis. Isso aconteceu por causa da crise no investimento que o país recebia, principalmente da Inglaterra, nos anos após a Segunda Guerra Mundial.

Entre os anos de 1870 e 1920, o Brasil recebeu investimento de capital de ingleses. Esse investimento ocorreu porque eles estavam interessados no lucro que o transporte de cargas do país iria dar. Contudo, a partir de 1920, o sistema de transporte entrou em declínio e foi preciso investir em outras formas de transportar as cargas.

Declínio das ferrovias no Brasil

O declínio do meio de transporte começou em 1920 e chegou ao seu auge em 1940. Isso aconteceu após a saída de investidores ingleses do país. Sem dinheiro para a construção de novas ferrovias e sem uma malha de trilhos grande o suficiente para ligar todo o território, aos poucos o sistema foi entrando em desuso.

Hoje em dia, poucas linhas funcionam e são restritas ao transporte de cargas grandes. Mesmo sendo um meio de transporte barato, quanto ao uso, a construção de ferrovias demanda mais dinheiro que o que seria investido em transporte rodoviário. Dessa maneira, o meio de transporte foi praticamente transferido.  

Nos anos seguintes ao declínio várias ferrovias foram abandonadas. É possível ver até hoje, em muitas cidades, os trilhos por onde os trens seguiam viagem.

Veja também: Meios de transporte

Trens no Brasil

Mesmo com o abandono no investimento nas ferrovias, algumas poucas ainda funcionam no país nos dias atuais. Apenas 8 quilômetros, dos 28 mil que foram concedidos pelo governo para construção, estão ativos.

O primeiro trem do Brasil foi inaugurado em 1854

Atualmente, 8 mil quilômetros de ferrovia funcionam no Brasil (Foto: depositphotos)

A construção de novas ferrovias é um investimento caro e demorado porque é preciso adaptar toda a geografia da região. Dessa maneira, os projetos de expansão foram esquecidos.

Ferrovias do Brasil atualmente

Atualmente, os 8 mil quilômetros de ferrovias que funcionam no Brasil são responsáveis pelo transporte de apenas 15% de toda a carga produzida nacionalmente. Esses materiais são em geral materiais grandes e pesados, como cargas de grãos e gasolina.

Mais de 60% de toda a carga é transportada pelas estradas. Os outros, são divididos em transporte marítimo e aéreo. 

Há a necessidade de mais investimento na construção de estradas de ferro no Brasil. Contudo, os projetos não saem do papel, devido aos custos e logística de construção. Algumas chegam a começar a serem construídas, mas acabam sendo abandonadas.

Veja também: Transportes terrestres

Transporte ferroviário de passageiros no Brasil

O transporte de passageiros por trem no Brasil foi totalmente abandonado por causa de escolhas políticas. Os planos de crescimento dos governos deram prioridade ao investimento das indústrias automobilísticas.

Dessa maneira, o investimento das principais cidades do país foi voltado para o aumento da frota de ônibus. Devido à carência de transporte, foi iniciado o processo de construção de linhas de metrô em várias das principais capitais do país.

Mesmo assim, elas formam uma pequena porcentagem, já que a maior parte do transporte de passageiros é feita através de ônibus ou carros particulares. As linhas também são insuficientes para suportar todo o fluxo de pessoas que precisam deste tipo de transporte hoje.

Primeiro trem no Brasil

O primeiro trem do Brasil foi inaugurado em 1854, no final do século XIX, e ligava a cidade Fragoso ao porto de Mauá, no litoral do Rio de Janeiro. A construção desta primeira ferrovia é atribuída ao Barão de Mauá, a quem é creditado o início das estradas de ferro no Brasil.

As ferrovias tinham problemas para serem instaladas em território nacional por causa da variedade de formações geográficas, como relevos e rios. Mas devido a investimentos ingleses houve uma expansão da malha ferroviária entre os anos de 1870 e 1920.

O investimento foi feito para aumentar o processo de escoamento das cargas de café. Dessa maneira, mais da metade de todos os trens de carga do país foram concentrados na região sudeste. Local onde ficava a maior região cafeeira do país.

Trens de carga no Brasil

Os trens de carga são poucos e carregam apenas 15% de toda a produção nacional. Devido às concessões do governo, o transporte rodoviário de cargas teve maior investimento durante as décadas de 1950 a 1980. Isso aconteceu por uma exigência das empresas estrangeiras para que pudessem se instalar no país.

Após a privatização das ferrovias, durante o final dos anos 90 e começo dos anos 2000, vários quilômetros de malha ferroviária foram sucateados e abandonados. 

Veja também: Aprenda sobre a história do transporte rodoviário

Importância da construção de ferrovias

Por ser um país de grande extensão territorial, uma malha ferroviária interligada é essencial para o transporte de cargas e até de passageiros por longas distâncias.

Dessa maneira, seria possível evitar os problemas de trânsito das grandes cidades e acidentes nas estradas pelo país. Outro ponto seria o barateamento do custo no transporte das cargas, que seria possível com uma malha ferroviária mais forte.

Veja mais!