Publicado por Prof. Nathália Duque

O urso polar é um animal mamífero que habita o círculo polar ártico e regiões continentais vizinhas. É encontrado em países como Noruega, Dinamarca, Rússia, Estados Unidos e Canadá.

O urso polar possui uma pelagem branca, o que é algo muito positivo para se camuflarem na neve. Eles possuem uma alimentação rigorosa, pois são animais pesados e compridos.

O macho adulto, mede mais de 2 metros de comprimento e pode pesar mais de 500 quilos. Os ursos polares se alimentam principalmente de focas, mas também comem outros animais, como os peixes.

Além disso, são animais de hábitos solitários, ou seja, não formam grupos familiares.

Características do urso polar

O urso polar é um animal que possui como característica principal a ausência de pigmentação dos pelos, ou seja, seus pelos são brancos.

Urso andando sobre gelo

Por ser todo branco, o urso polar consegue se camuflar na neve (Foto: depositphotos)

Apesar de não possuir pigmentação em seus pelos, a sua pele é de cor preta, o que ajuda bastante na absorção de calor e consequentemente, na manutenção da temperatura corporal.

Acredita-se que ele tenha surgido de uma linhagem de urso pardo e a ausência de cor de seus pelos favoreceu sua adaptação na neve através da camuflagem no meio ambiente.

São animais que vivem em locais onde as águas são cobertas por gelo. Durante o verão, quando o gelo derrete, é comum esses animais ficarem em jejum até que o mesmo forme-se novamente.

Se alimentam de mamíferos marinhos, já que no ambiente terrestre eles não conseguem alimento suficiente para manter a sua energia e sobrevivência.

As patas do urso polar são bem adaptadas para caminhar na neve e também para nadar longas distâncias. Possui orelhas e rabo bem pequenos. Seu nome científico é Ursus Maritimus (urso marítimo).

Reprodução

O urso polar realiza seu acasalamento durante a primavera, e seus filhotes nascem na época do inverno, ou seja, após o período de gestação que varia entre 195 a 265 dias.

Normalmente, a fêmea possui em média dois a três filhotes por gestação. Ele é considerado um animal mamífero que apresenta uma baixa taxa reprodutiva.

As mães cavam tocas para servirem de abrigo para seus filhotes e realizarem o nascimento dos mesmos. Os filhotes nascem super pequenos, pesando menos de 1 kg. Nascem cegos e com pouquíssimos pelos no corpo.

As mães possuem um cuidado muito especial com os filhotes e eles permanecem ao lado dela até os dois anos de idade. Esses animais vivem em média 25 anos.

Mamãe ursa com filhote

Para dar à luz e proteger seus filhotes, a mamãe ursa cava tocas na neve (Foto: depositphotos)

O gelo e a alimentação

Como vimos, o urso polar alimenta-se de animais marinhos, principalmente de focas. O gelo é de grande importância para eles, pois serve como uma base ou superfície para que esses animais possam se locomover e capturar suas presas.

Quando as focas vão até a superfície em busca de oxigênio, o urso polar identifica através de seu olfato aguçado e então, realiza a captura.

Na ausência de gelo, esses animais não conseguem predar as focas, complicando assim, a sua alimentação.

O urso polar é uma das maiores espécies de urso do planeta, sendo considerado o predador carnívoro mais potente da cadeia alimentar depois do ser humano. Ele passa grande parte de sua vida submerso nas águas congeladas, pois é um ótimo nadador.

Urso polar nadando

Apesar de viver boa parte da vida sobre a neve, o urso polar também é um excelente nadador (Foto: depositphotos)

Habitat

O urso polar habita as regiões de gelo do círculo polar ártico. Predomina na Dinamarca (Groenlândia), Noruega (Svalbard), Rússia, Estados Unidos (Alasca) e Canadá. É considerado um superpredador do ártico.

É considerado um animal que possui hábitos solitários, porém, às vezes é encontrado formando pequenos grupos.

Podem ser vistos juntamente com lobos e raposas, pois estes animais se aproveitam da ferocidade do urso polar e acabam se alimentando dos restos da caça que este animal deixa pelo caminho.

Hibernação

É muito importante destacar que os ursos polares não hibernam! No entanto, eles conseguem dormir por muitas horas, com o objetivo de economizar energia.

A temperatura corporal do urso polar não baixa o suficiente para ser considerado hibernação, pelos cientistas. Os animais que hibernam, como os esquilos e morcegos, quase congelam e entram num estado de praticamente “mortos”.

Já com o urso polar não acontece assim, ele reduz a temperatura do corpo em torno de 9 ºC somente.

Quais animais hibernam?

Muitos animais realizam a hibernação, tais como: morcegos, esquilos, hamsters, marmotas, ratos-silvestres e ouriços.

O objetivo da hibernação é poupar energia durante o inverno, pois nesta estação a comida fica escassa e de difícil acesso. A hibernação é um processo biológico natural muito importante para os animais de clima frio.

Durante este período, os animais reduzem sua temperatura corporal significativamente, os batimentos cardíacos caem e seu metabolismo fica muito lento.

Após a fase de hibernação, suas atividades voltam ao normal, bem como seus batimentos cardíacos, temperatura e metabolismo.

O urso polar e as mudanças climáticas

As alterações climáticas e o aquecimento global podem afetar diretamente o comportamento e a rotina do urso polar. Com o derretimento das calotas polares, os ursos podem ter a sua dieta dificultada e assim, correm risco de extinção.

Com o aumento da temperatura e o derretimento do gelo do mar Ártico, muitos pesquisadores e biólogos constataram que os ursos se alimentavam da carcaça de baleias, até que o gelo retornasse e eles pudessem predar as focas normalmente.

Urso em cima do gelo

Sem o gelo, os ursos não conseguem caçar e podem acabar morrendo de fome (Foto: depositphotos)

De acordo com as estimativas, se o aquecimento continuar nesse ritmo acelerado, os verões não apresentarão gelo e os ursos polares poderão morrer de fome.

O gelo é importante para esses animais, pois atua como uma plataforma para caçar as focas, que são a base de sua dieta alimentar.

O urso polar é uma das espécies que está sofrendo diretamente com as mudanças climáticas. As pesquisas apontam que sua população está diminuindo ao longo dos anos e se nenhum plano governamental entrar em ação, estima-se que até 2050 dois terços desses animais irão desaparecer.

Fotos do urso polar

Mãe ursa com dois filhotes

(Foto: depositphotos)

Urso na água

(Foto: depositphotos)

Ursos polares rolando na neve

(Foto: depositphotos)

Urso polar filhote

(Foto: depositphotos)

Casal de ursos polares

(Foto: depositphotos)

Dois ursos polares brigando

(Foto: depositphotos)

*Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

DE SOUZA ONÇA, Daniela. “As mudanças climáticas segundo Al Gore“. 2008. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

BUSS, Daniel F. “Sustaining Life: How Human Health Depends on Biodiversity“. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, v. 3, n. 2, 2009.

Veja mais!