Publicado por Débora Silva

Na Língua Portuguesa, nós encontramos várias classificações de verbos, como os verbos regulares, verbos irregulares, verbos pronominais, verbos impessoais, verbos de ligação… Neste artigo, nós falaremos a respeito de mais uma classificação de verbos: os verbos reflexivos.

Verbos reflexivos

Foto: Reprodução

O que são os verbos reflexivos?

Quando falamos em verbos reflexivos, logo nos vem uma ideia relacionada ao ato de refletir, não? E esta nossa noção está correta! Classificam-se em “verbos reflexivos” aqueles verbos em que a ação se reflete no próprio sujeito que a pratica.

Preste atenção no exemplo a seguir para que o conceito fique mais claro:

Exemplo: Juliana feriu-se com a faca.

Observe que Juliana (o sujeito) praticou a ação, ou seja, entrou em contato com a faca e, em seguida, essa ação (de estar usando a faca e acidentalmente ferir-se com o objeto) se voltou para ela mesma. Ou seja, a ação voltou-se para quem a praticou, para o próprio sujeito. Assim sendo, temos um verbo reflexivo.

Além disso, observe que os verbos reflexivos sempre aparecem acompanhados do pronome pessoal oblíquo que, no caso do exemplo acima, é o pronome “se”.

Verbos reflexivos e verbos pronominais – Qual é a diferença?

Ao estudarmos os verbos reflexivos, é importante voltarmos, também, ao conceito dos verbos pronominais para que não haja confusão entre as duas classificações. Qual é a diferença entre eles?

A confusão entre estas classificações pode ocorrer porque ambos os verbos trazem consigo o pronome oblíquo átono “se”. Primeiramente, vamos ver o conceito de cada um deles e, posteriormente, passaremos para alguns exemplos para que a diferença possa ficar mais clara.

Nos verbos reflexivos, o pronome pessoal oblíquo átono “se” não é parte do verbo, apenas o acompanha, já que ação do sujeito ocorre nele próprio (no sujeito), como já dissemos anteriormente.

Para fixar melhor o conceito de verbos reflexivos, veja mais um exemplo:

Exemplo: Enquanto estava trabalhando, o funcionário cortou-se com um objeto pontiagudo.

E quanto aos verbos pronominais? Como o próprio nome já indica, esta classificação diz respeito àqueles verbos que, necessariamente, trazem para junto de si esse pronome.

Confira os exemplos a seguir com atenção para que a distinção dessas classificações fique mais clara:

Exemplos:

A menina queixou-se de dor.

João formou-se em Psicologia.

Nas duas frases dos exemplos acima, o uso do pronome oblíquo ocorre por uma exigência da própria gramática e, por isso, trata-se de verbos pronominais.

Veja mais!