Publicado por Robson Merieverton

Incentivar o hábito da leitura, desde os primeiros anos de vida, entre as crianças é fundamental para o desenvolvimento da imaginação, criatividade e outras habilidades cognitivas. Além do mais, ela também pode ajudar a estreitar a relação de proximidade entre pais e filhos.

Mesmo com toda essa relevância, a atividade ainda não atrai a maioria das famílias brasileiras. Recente pesquisa realizada pela Fundação Itaú Social aponta que, apesar de 96% dos entrevistados considerarem importante a leitura na infância, apenas 37% têm o hábito de ler para os pequenos.

De acordo com a psicopedagoga Thalita Thomé, ler histórias para a criançada é a forma mais eficaz de incentivar o interesse pela leitura. “Quando os pais se sentam com os filhos para ler criam um laço afetivo entre a criança e os livros, além de ser um momento muito especial de interação da família”, afirma.

Você sabia que faz bem incentivar o hábito da leitura entre as crianças?

Foto: depositphotos

O que ler?

Nos primeiros anos de vida, o indicado é procurar alguma história que gere interesse na criança, sobretudo aquelas que mexem com personagens infantis e o mundo lúdico em geral. Criar uma interação entre o mundo da fantasia e o real, principalmente na hora da leitura, ajuda a prender ainda mais atenção da criança.

Sobre essas orientações, Thalita endossa que não existem limites para a imaginação na hora dos contos infantis. “Os livros têm o poder de transportar a criança para outro mundo e ampliar seus conhecimentos de uma forma gostosa e divertida. Por isso, os pais podem usar a criatividade com teatros, usar objetos que tenham em casa, tudo para fazer a criança se sentir parte da aventura”, acrescenta Thalita.

É importante também que se crie uma rotina. Separe algum momento no dia, seja pela parte da manhã, tarde ou noite para a leitura. Pode ser no quarto, sala, sala de brinquedos, enfim, o importante é que a criança saiba que está na hora da leitura. Ah! Faça com que esse momento seja de entrega e dedicado a cumplicidade entre os dois.

Não importa se a leitura é feita pela mãe ou pelo pai, o imprescindível é que ela seja feita. Procure manter um contato visual com a criança, isso vai ajudar a prender a atenção dela e permitir que essa troca constante de olhares crie uma sinergia.

Sugestões

Para iniciar essa prática de maneira prazerosa, Thalita Tomé indica três livros recheados de fantasia e conhecimento, as dicas são: “Bruxa, Bruxa, venha a minha festa”, “A menina bonita do laço de fita” e “Pedro e Tina”. “Esses contos trazem uma abordagem muito bacana sobre diversidade de raças, laços de amizades e como enfrentar o medo, que são temas muito propícios para essa faixa etária”, finaliza a psicopedagoga.

Veja mais!