Publicado por Katharyne Bezerra

O mês de junho é marcado por festividades que atravessam décadas de história e compõem o período junino. Santo Antônio no dia 13 desse mês, São João no dia 24 e São Pedro já no finalzinho do mês, no dia 27.

Portanto, trata-se de um mês repleto de tradições envolvendo a montagem de fogueiras, decoração colorida e a produção de uma diversidade de pratos típicos feitos à base do grão dourado: o milho.

Mas, de onde vem tantas receitas com milho? E por que este é o ingrediente base para a maioria dos pratos da festa junina? Essas e outras questões podem ser respondidas durante este mesmo artigo.

Conheça a história das comidas juninas

A história das comidas juninas tem relação com a data e a safra de milho

Nas festividades juninas, as comidas de milho são muito apreciadas (Foto: depositphotos)

Para entender a história dos pratos típicos do São João é preciso entender de duas áreas: história e agricultura.

Em primeiro lugar, é importante destacar que o Brasil foi colonizado pelos portugueses, povos esses que eram essencialmente católicos. Desta forma, as tradições cultivadas em Portugal foram adaptadas às realidades da colônia.

Veja também: 24 de junho: Dia de São João

Devido ao catolicismo, os portugueses já comemoravam as festas juninas no país de origem. Assim, em Portugal, as comidas eram feitas de trigo e cereal, dois ingredientes provenientes da agricultura durante os meses de junho, julho e agosto.

Ao chegarem no Brasil e se deparem a um clima diferente nesta mesma época do ano, os portugueses precisaram adaptar as receitas aos resultados agrícolas colhidos no período do inverno brasileiro.

Um dos elementos mais comuns nos meses do meio do ano no Brasil é o milho, pois trata-se de uma planta que necessita de muita água para desenvolver-se, por isso é muito encontrado durante o inverno.

Veja também: A origem dos nomes curau e canjica para o mesmo prato junino

Com o ingrediente principal, os portugueses precisavam de idéias para pratos. E é nesta fase que indígenas e africanos colocaram em prática seus conhecimentos culinários, transformando espigas de milho em pratos como: bolo, canjica, pipoca, pamonha, mungunzá etc.

Veja mais!