Publicado por Priscila Melo

Quem nunca ouviu falar em Virgulino Ferreira da Silva? Ou melhor, falando, o Lampião. Quem já ouviu, sabe que ele foi o nome do cangaço no Nordeste. Mas além dele, também existiram muitos outros nomes que na época aterrorizavam as cidades da região.

O que é o cangaço?

Foto: Reprodução

Definição

O cangaço se define como um grupo de homens, vestidos em trajes a caráter (de couro), que formavam bandos armados com a intenção de invadir e saquear cidades, fazendas e terras da região do Nordeste.

O início

Historiadores afirmam que esse fator começou em meados do século XVIII com o cangaceiro José Gomes, conhecido mais como Cabeleira. E os indícios eram de que esses grupos eram formados devido à vida miserável em qual a população vivia no interior do Nordeste, e essa vivência gerava uma revolta que acabou por se rebelar no Cangaço. Esses grupos espalhavam o terror na região, roubando, quebrando tudo que via e estuprando mulheres. Alguns deles eram “protegidos de fazendeiros”, pois trabalhavam como cobradores dos senhores coronéis.

Mas o cangaço passou a ter grande força mesmo, no final do século XIX até o início do XX. Pois nessa época o país sofria com grandes crises e a Região do Nordeste era altamente prejudicada. As plantações de Cana e Algodão ficavam altamente enfraquecidas e consequentemente, deixavam as famílias sertanejas na miséria, pois os cultivos dessas duas culturas eram a base econômica da local. Migrar para o Sul em busca de trabalho nos grandes centros econômicos, como São Paulo, não era vantajoso, porque foi também nessa época, que Brasil importava mão de obra de outros países, e esses trabalhadores eram muito mais qualificados do que os brasileiros.

E foi nesse contexto que o fenômeno do cangaço estourou, vários e vários foram os bandos criados, e cada bando tinha um líder. Nessa época surgiam nomes como os de Antônio Silvino (o Rifle de Ouro), Corisco e Diabo Louro, onde o mais conhecido entre todos foi Lampião.

Os cangaceiros e a sociedade

Os cangaceiros não respeitavam as leis impostas à sociedade e os conflitos entre a polícia e os homens do cangaço eram constantes. A polícia sentia bastante dificuldade em conseguir prender esses bandos, isso porque, eles detinham um conhecimento muito grande sobre a região nordestina, conheciam as terras, a vegetação da caatinga, os locais onde tinham esconderijos e onde estavam os rios, e nunca ficavam fixados em um local, estavam sempre se locomovendo. Além disso, alguns grupos da época ajudavam a população mais necessitadas, doando uma pequena parte dos saques que eram feitos, e em troca ganhavam a lealdade e o silêncio do povo.

Para lembrar

No resumo, o cangaço foi um fenômeno social que tentava buscar uma maior igualdade para a população nordestina da época, uma vez que poucos eram detentores de renda e terras, enquanto a maioria sofria com a miséria. O cangaço foi chegando ao fim nas décadas de 30 e 40. Lampião morreu numa emboscada em 1938, depois de sua morte vários líderes se entregaram, pois o governo fazia uma grande pressão contra a prática do cangaço. E por fim, o ultimo líder, Cristino Gomes da Silva Cleto, o Corisco, foi morto em 1940.

Veja mais!