Publicado por Katharyne Bezerra

Você certamente já se perguntou o que causa soluço no nosso organismo. Pois saiba que até os médicos já se fizeram essa mesma pergunta várias vezes. No entanto, poucas são as respostas com relação a esse tema, principalmente quando o assunto é o soluço constante.

Isso porque, para a medicina, o soluço normal tem uma duração de até 48 horas. Assim, uma pessoa que apresenta essa condição por mais de dois dias pode ser classificada no tipo de soluço persistente ou intratável.

Apesar de ser um universo pouco conhecido, especialistas já conseguem estabelecer uma conexão entre os tipos de soluços e algumas causas desses problemas. Mas quando se trata do remédio para soluço ainda é levado em consideração a crença popular. Nesses casos, leva-se em conta algumas simpatias para acabar com essa situação tão incômoda.

Se você quer respostas sobre o que causa, tratamento e os tipos de soluço, você está no lugar certo. Além disso, ainda nesse artigo é possível entender o que acontece quando a gente soluça e o que pode ser feito para controlar esse problema.

O que causa soluço?

Antes de mais nada, é preciso esclarecer que a causa do soluço depende do tipo dele e como já visto anteriormente, existem três. No primeiro caso tem-se o soluço episódico que é provocado geralmente por bebidas gasosas, excesso de comida ou alimentos que, ao serem mastigados, facilitam a entrada de ar pela boca, como o chiclete.

Mulher segurando a respiração

O soluço é uma contração involuntária, intermitente e espasmódica do diafragma (Foto: depositphotos)

Além disso, o soluço comum pode surgir devido ao consumo de chocolate ou doces no geral. Bebidas alcoólicas, o ato de comer com rapidez e o tabagismo também podem desencadear esse tipo de situação.

Já em quadros mais sérios, quando o soluço ultrapassa 48 horas de duração, outras causas podem estar envolvidas.

De acordo com o site da clínica Otorhinvs Blumenau, do médico Jan Alessandro Socher, existem mais de 100 causas para explicar os soluços persistentes ou refratários. Por isso, elas foram divididas em quatro subcategorias.

Mas de uma maneira geral, os soluços constantes estão associados a algum tipo de doença, como laringite, faringite e até mesmo tumores. Além disso, as condições pode surgir devido a doenças do sistema nervoso central ou tóxico-metabólicas, como as intoxicações por álcool.

Por fim, esses problemas podem surgir também devido a fatores psicogênicos. Assim, tanto o soluço persistente como o refratário podem ser classificados como consequências de estresse, ansiedade, excitação etc.

Veja tambémQual a importância do nariz?

O que causa soluço em bebê?

Na grande maioria das vezes, os bebês são acometidos com o soluço logo após a amamentação. Isso porque, durante o processo de aleitamento a criança fica predisposta a engolir ar. Esse conteúdo gasoso que entra no organismo causa um descompasso na respiração, provocando o soluço ou até mesmo um refluxo.

Dessa forma, a causa do soluço em bebês é semelhante a uma das causas nos adultos. Em qualquer idade, comer com rapidez ou mastigando de maneira que permita a entrada do ar podem provocar o soluço.

Para evitar o soluço no bebê, é recomendado que a mãe posicione a criança da melhor maneira possível. Nesse sentido, durante a amamentação, o filho deve estar em uma posição mais vertical. E logo após esse processo, deve-se manter o bebê totalmente na vertical.

O que acontece quando a gente soluça?

Antes de entender o que acontece quando a gente soluça, é preciso compreender que o soluço é uma condição originada do sistema respiratório do corpo. Assim, o soluço é uma contração involuntária, intermitente e espasmódica do diafragma.

Esse músculo atua na respiração e separa o tórax do abdômen. E ele está sempre em compasso com o movimento dos pulmões. Mas quando ele contrai involuntariamente, a prega vocal também se contrai e faz aquele barulhinho característico do soluço.

Geralmente, esse tipo de situação é controlada sozinha e em alguns minutos tudo já está normalizado. Já em alguns casos específicos, talvez seja necessária a intervenção com algum método simples para solucionar o incômodo. No entanto, há situações mais complexas que exigem cuidados médicos.

Soluço pode matar?

De uma maneira geral, o soluço é uma condição simples. Praticamente todo mundo já passou por essa experiência na vida, mas logo melhorou. Contudo, algumas pessoas apresentam uma condição extrema de soluço e precisam de ajuda médica.

Nesses casos mais graves como os soluços persistente e refratário, é necessário um cuidado maior. Isso porque, as consequências desses dois problemas podem ser sérias para a saúde do paciente.

Então, sem a orientação médica esses dois problemas podem ser responsáveis por graves desfechos. Por exemplo, o paciente pode começar a perder peso, entrar em situação de desnutrição e sentir fadiga.

Além disso, pode haver ainda casos de insônia e consequentemente de estresse mental por parte do doente. E todos esses fatores acabam prejudicando a qualidade de vida do paciente e sem o devido cuidado podem colocar em risco a vida.

Remédio para soluço

De acordo com especialistas, não há um tratamento cientificamente comprovado capaz de eliminar o soluço de uma vez. Por isso, o que prevalece ainda são as teorias do senso comum, como beber água, tomar um susto e prender a respiração.

No entanto, existem formas de fortalecer essas técnicas para servirem de “remédio” para o soluço. Por exemplo, no caso de beber água, você pode colocar pedras de gelo para que ela fique bem gelada capaz de distender o diafragma mais rapidamente.

Além disso, existe outra forma de usar a água para eliminar o soluço. Para isso, basta colocar água em uma garrafinha, colocar o braço nas costas e inclinar o corpo no ângulo de 90º. Nessa posição, deve-se beber a água do recipiente. Segundo os médicos, essa tática também distende o diafragma quando ele está relaxado.

Outra dica é prender a respiração confortavelmente, sem ficar sufocado. Em seguida, deve ir soltando aos poucos o ar e continuar o procedimento de duas a três vezes. Caso seja necessário, pode repetir quantas vezes for necessário, até o soluço sumir de vez.

Também são medidas para acabar com o soluço: soprar contra algum obstáculo, fazer gargarejo, ingerir uma colher de açúcar, fazer pressão sobre os olhos ou apoiar o tórax contra uma superfície.

Veja tambémO que acontece durante o sono?

Como parar soluço constante?

Os cuidados já mencionados anteriormente servem para controlar o soluço normal, mas quando se trata dos dois outros tipos é necessário usar de outras medidas. Primeiramente, deve-se procurar um médico e contar todo o histórico do problema.

Há quanto tempo o soluço é apresentado? De quanto em quanto tempo ele surge? Existe um outro sintoma que acompanha essa condição? Essas e outras perguntas podem ser feitas pelo médico ao paciente.

Com o histórico levantado, alguns exames complementares são solicitados pelos especialistas. Pro exemplo, exames de sangue, ressonância magnética, broncoscopia, endoscopia, teste de função pulmonar, entre outros.

Se alguma doença for diagnosticada durante esse processo, o tratamento é feito em cima desse problema. Caso não seja identificada nenhuma outra condição, o médico pode receitar outros cuidados como:

  • Eliminar o tabagismo e bebidas alcoólicas
  • Eliminar guloseimas, como chocolates, doces e bebidas gasosas
  • Comer em menor quantidade e mastigar devagar
  • Trabalhar melhor as emoções, para não cair no estresse, ansiedade e outras condições psicológicas

“Terapias alternativas mostraram algum resultado em casos selecionados, como hipnose e acupuntura. A cirurgia para o bloqueio do nervo frênico e para a implantação de um marca-passo respiratório pode ser utilizada em casos refratários e com resultados ainda em estudo”, explica o médico cirurgião do Hospital Einstein, Sidney Klajner.

Agora você já sabe o que causa soluço em bebê, o que acontece quando a gente soluça e qual remédio para acabar com essa condição. Então, está na hora de colocar todo esse conhecimento em prática, evitando e tratando dessa contração do diafragma sempre que possível ou necessário.

Veja mais!