Publicado por Katharyne Bezerra

Todo início de ano a volta às aulas torna-se um “problema” na vida de muitos pais, crianças e adolescentes. Isso porque, pode ser difícil para algumas pessoas aprenderem a como readaptar a rotina e incluir a escola, após as férias de fim de ano.

Mas será que existem formas de diminuir o estresse durante o período de volta às aulas? De acordo com a médica pediatra, Vanessa Guimarães, e a coordenadora da Pré-Escola e do 1° ano do Colégio Palmares, de São Paulo, Maria José Conrado existem dicas que podem facilitar a adaptação de toda família.

Além dos cuidados com a saúde das crianças e adolescentes, esse processo exige ainda atenção ao comportamento dos pais. Com isso, retomar as atividades escolares pode ser mais simples e tranquilo.

E foi pensando em facilitar ao máximo a vida das família que produzimos esse artigo. Aqui você aprende como transformar esse período de adaptação é uma experiência agradável pra todos. Eliminando qualquer tipo de medo ou ansiedade.

Como diminuir o estresse da volta às aulas?

Segundo a pediatra Vanessa Guimarães, o estresse da volta às aulas pode estar relacionado à retomada da rotina dos horários fixos e da alimentação regrada. Isso ocorre devido aos exageros das festas de fim de ano somados às férias.

Menina na sala de aula

A volta as aulas representa a retomada da rotina dos horários fixos e da alimentação regrada (Foto: depositphotos)

“Para o adulto, que compreende pelo menos intelectualmente o retorno de seus esforços, já é difícil voltar à alimentação saudável e aos exercícios, depois de um mês de festas, imagine para os filhos”, questiona a médica, também especialista em cardiopediatria pela Faculdade de Medicina da USP.

Por essa razão, o ideal é tentar equilibrar a rotina de forma saudável. Para isso, podem ser necessárias algumas mudanças que devem ser feitas gradualmente, evitando possíveis irritações.

Sendo assim, a pediatra dá algumas dicas que devem ser seguidas pelos pais e repassadas paras os filhos, são elas:

  • Preferir alimentos naturais e evitar os industrializados
  • Seguir uma dieta de alimentação a cada três horas
  • Entre as refeições principais, comer lanches como frutas ou sucos naturais
  • “Oferecer um lanchinho saudável antes de a criança ir para festas ou os adolescentes saírem para os seus programas, de maneira que eles não sintam tanta fome quando estiverem no compromisso”, aconselha a médica
  • Dar preferência aos alimentos assados e não fritos
  • Ingerir bastante água ao longo do dia
  • Incluir ou manter a prática de exercícios físicos na rotina
  • “Estabelecer o horário de ir para a cama cada dia mais cedo, até que seja alcançado o horário ideal para, no mínimo, oito horas de sono”, indica Vanessa Guimarães.

Dicas para crianças

As dicas repassadas pela pediatra anteriormente devem ser seguidas para evitar casos de pressão arterial elevada ou glicemia e colesterol alterados em crianças ou adolescentes. Infelizmente, segundo a médica, esses quadros estão se tornando comuns. Por isso, a urgência de mudanças na alimentação.

“Há estudos que encontraram alterações nas artérias de jovens, antes mesmo dos 15 anos, indicativas de aterosclerose progressiva, desequilíbrio que está na base das doenças cardiovasculares”, revela.

Dessa maneira, o mais recomendado para crianças é apostar em lanches saudáveis e coloridos. Assim elas comem bem e o desejo por guloseimas é menor.

Dicas para adolescentes

Já quando o assunto são os adolescentes, a médica pediatra explica que a abordagem deve ser específica.  “Nessa faixa etária, os pais imporem suas vontades nunca parece ser a melhor opção. A imposição traz a recusa e a não aceitação”, diz Vanessa.

Por isso que o diálogo é sempre a melhor alternativa com os maiores. Explicar as mudanças e justificá-las são os caminhos mais fáceis para obter resultados satisfatórios na rotina alimentar dos adolescentes.

Além da alimentação, outro quesito importante é a qualidade do sono na vida dos jovens. Isso porque, os hábitos noturnos podem sofrer forte influência da internet e dos vídeo-games. Mas antes de querer proibir toda essa tecnologia, leve em consideração que a imposição não funciona com os adolescentes.

“Deixe claro em que momentos do dia eles são bem-vindos, e que a escola, aulas de inglês ou outras línguas, esportes, encontros com a família e amigos são sempre a prioridade”, indica a médica.

Os pais precisam se adaptar com a volta às aulas

Pai e filho abraçados

Os pais não devem passar suas ansiedades para as crianças (Foto: depositphotos)

Mesmo com todas essas dicas, é importante lembrar que a adaptação escolar não é um desafio apenas para as crianças e os adolescentes, mas também para os pais e responsáveis. E essa situação é ainda mais desafiadora quando se trata do início da vida escolar da criança.

De acordo com a coordenadora da Pré-Escola e do 1° ano do Colégio Palmares, de São Paulo, Maria José Conrado, o início da autonomia e independência dos pequenos podem gerar medo e ansiedade nos pais.

“Tudo isso gera um turbilhão de emoções na cabeça dos pais e, em muitos casos, toda essa emoção é transferida para os filhos, ainda que involuntariamente ou indiretamente, em forma de insegurança. É preciso ter cuidado, porque essa transferência torna o momento feliz em algo mais tenso”, explica a profissional.

Por isso, é importante que a família esteja segura com relação à escola. Visitar o ambiente escolar sempre que for necessário para entender todo o funcionamento do colégio. Todas essas atitudes acabam tranquilizando os responsáveis, que acabam passando essa tranquilidade para os filhos.

Como readaptar a rotina?

Entre todas as dicas já mencionadas, é importante destacar outros tópicos que podem contribuir com a reorganização familiar no período de volta às aulas. São elas:

  • Dormir cedo: Para acordar no horário certo é importante dormir no horário apropriado. Sendo assim, pais e filhos devem recriar o hábito de ir para a cama mais cedo, para não ter problemas ao acordar
  • Hora do estudo: Outro importante recurso é criar a hora do estudo. Em um momento do dia, a criança ou adolescente vai dedicar o seu tempo para fazer a lição de casa e revisar os assuntos estudados em sala de aula
  • Hora da diversão: Da mesma maneira que o estudo é importante, a diversão é essencial. Uma criança e adolescentes relaxados podem ter um desempenho melhor em toda e qualquer atividade durante o dia
  • Criar o hábito da leitura: Incentivar a leitura desde cedo é importante para melhorar o desempenho escolar e evitar estresse na volta às aulas.

*Artigo feito com a colaboração da médica pediatra Vanessa Guimarães, especialista em cardiopediatria pela Faculdade de Medicina da USP (CRM-118641) e da coordenadora da Pré-Escola e do 1° ano do Colégio Palmares, de São Paulo, Maria José Conrado.

Veja mais!