Publicado por Prof. Luana Polon

Já se perguntou qual é a capital da China? Para quem não sabe, a República Popular da China é um país localizado no continente asiático. Com um território de 9,59 milhões de quilômetros quadrados, é o terceiro maior país do mundo, ficando apenas atrás da Rússia e do Canadá.

Além de ter um território enorme, a China apresenta a maior quantidade de população do mundo, com uma população de mais de 1.384.688.986 habitantes, segundo dados de 2018.

Com essa população que ultrapassa 1 bilhão de habitantes, a China tem seu território dividido em 22 províncias, além de cinco regiões autônomas e duas regiões administrativas especiais, e ainda quatro municipalidades. Essas divisões são essenciais para que o país possa ser organizado e administrado adequadamente.

Qual é a capital da China?

A capital da República Popular da China é Pequim, uma cidade localizada na região da planície Norte do país. É uma das cidades mais populosas do mundo, e no caso da China só fica atrás de Xangai (Shanghai).

Prédios iluminados de Pequim

Pequim é uma das metrópoles mais populosas do mundo (Foto: depositphotos)

A cidade de Pequim tem uma população de mais de 21 milhões de pessoas. Já o território de Pequim tem 16.808 quilômetros quadrados de extensão, sendo a cidade o centro político, cultural e educacional da China.

Em Pequim estão localizadas boa parte das empresas estatais chinesas, e a região da cidade conta com elevado índice de infraestrutura moderna, com rodovias, vias expressas (rápido deslocamento), redes ferroviárias e aeroporto.

Pequim tem um setor econômico desenvolvido e diversificado, com destaque para as atividades turísticas, já que a cidade é um dos atrativos em relação ao turismo no país. A indústria, a prestação de serviços, a área da construção civil e o comércio também se destacam como fontes econômicas na cidade.

Apesar de muitas empresas estarem localizadas em Pequim, é Xangai o grande centro comercial chinês. Pequim forma uma das metrópoles mais populosas do mundo, e ainda recebe uma massiva presença de visitantes todos os anos.

Em Pequim estão registrados os vários momentos históricos vividos pela China ao longo dos três milênios, local que foi palco de conflitos, dinastias e impérios. Assim, há vários locais turísticos com contexto mais histórico.

Veja também: Qual a capital da Rússia? Descubra!

Curiosidades da capital

Também em Pequim está um dos locais mais visitados da China, a “Cidade Proibida”, construída entre os anos de 1406 e 1420, é o complexo de construções com 980 edifícios preservados.

A origem do nome Pequim advém de sua localização geográfica na China, sendo ela a “capital do Norte” em mandarim. Pequim é também conhecida como Beijing, que é também seu nome em inglês.

Construções da Cidade Proibida

Construída no século XV, a Cidade Proibida mantém prédios preservados (Foto: depositphotos)

Algumas palavras chinesas sofreram mudanças ao longo do tempo em sua grafia. Isso porque, o governo chinês unificou as transliterações do chinês através de um sistema chamado de “Pinyin”. Esse sistema tem como finalidade as transcrições fonéticas da língua chinesa para o alfabeto romano, o que em tese facilita os acordos e negociações internacionais.

Pequim foi uma cidade que ficou bastante conhecida no ano de 2008 pelo mundo todo, quando foram realizados os Jogos Olímpicos de Verão de 2008 – Olimpíadas 2008 – no território da cidade. O evento multiesportivo (vários esportes) aconteceu entre os dias 8 e 24 de agosto de 2008.

Bandeira de Pequim

Pequim possui uma bandeira própria, a qual é formada por duas cores principais, sendo elas o amarelo e o azul. Ao centro da bandeira há a representação de um típico dragão chinês, símbolo do poder imperial nas dinastias chinesas.

A presença do dragão na história da China se remete a crença de os dragões foram um dos quatro animais sagrados convocados no momento de criação do mundo.    

Informações sobre a China

Considera-se que a China possua dois sistemas econômicos diferentes. O socialista nas regiões mais distantes dos grandes centros, onde os meios de produção ficam nas mãos do Estado. E o capitalista nas regiões que passaram por uma modernização e onde as relações produtivas vem se alterando desde a década de 1970.

Desde o ano de 1948, a China é governada pelo Partido Comunista da China. Esse país passou por muitas transformações no decorrer da sua história, e por ser milenar, foi palco de muitos acontecimentos e descobertas, bem como avanços tecnológicos, culturais e artísticos.

Na China há uma diversidade de religiões praticadas, já que a população está bastante miscigenada também. Ainda assim, predominam as correntes filosóficas orientais como Confucionismo e o Taoismo, bem como o Budismo.

Veja também: Conheça e entenda sobre a corrente política maoísmo

A língua oficial da China é o Mandarim padrão, além disso, existem milhares de dialetos e diversas línguas regionais. Como a China abriga quase um quinto de toda população mundial, é esperado que ela seja bastante diversificada em relação aos aspectos culturais.

A economia chinesa passou por muitas transformações, especialmente desde os anos de 1980, quando os produtos chineses eram comercializados a preços baixos em várias partes do mundo (quando tiveram ascensão as lojas do tipo “1,99”).

Hoje a China tem a segunda maior economia do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Conforme o gráfico abaixo, a tendência é que a China vire a maior economia do mundo em anos que virão:

Conclusão

A China é hoje uma grande potência em constante expansão. O país ameaça os Estados Unidos em relação ao primeiro lugar na economia global. É um país com enorme extensão territorial, o terceiro do mundo, e o primeiro em população.

Sua capital, Pequim, é parte de uma das metrópoles mais populosas do mundo. A cidade é famosa pelas construções históricas que guardam memórias de três milênios.

Além disso, Pequim tem uma economia diversificada, estando nelas muitas das principais empresas estatais chinesas. O turismo também é um destaque da economia de Pequim, e as religiões (ou filosofias) seguidas predominantemente são o Confucionismo, o Taoismo e o Budismo, como tradição no país.

*Luana Polon é Mestre em Geografia pela Unioeste, Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU).

Referências

MOREIRA, João Carlos; SENE, Eustáquio de. Geografia. São Paulo: Editora Scipione, 2011.

VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Editora Ática, 2011.

Veja mais!