Publicado por Anna de Cássia

O mimetismo é um fenômeno muito interessante que acontece na natureza, quando um animal possui caraterísticas de outro animal para assustar ou manter o predador afastado. É comum, por exemplo, que alguns animais não-venenosos possuam características parecidas com a de animais venenosos, para que assim eles confundam os predadores e eles fiquem com medo de serem envenenados e não se aproximem. Também pode acontecer de um animal ter características de outro animal que tenha um gosto muito ruim, porque assim o predador vai achar que ele também tem gosto ruim e não vai querer comê-lo.

Falsa e verdadeira cobra coral

Falsa e verdadeira cobra coral | Foto: Reprodução

Exemplos de mimetismo

A cobra coral é um tipo de cobra muito venenosa, que possui muitos círculos ao redor de todo o seu corpo, nas cores vermelho, preto e branco. Elas podem causar a morte de seres humanos com muita facilidade.

Existe também a cobra coral falsa, que é uma cobra muito parecida, porém, os círculos vermelho, branco e preto não passam por todo o seu corpo, mas apenas na parte de cima. A parte de baixo dessa cobra (a barriga dela) é toda branca. A cobra coral falsa não é venenosa.

Os estudiosos dizem que provavelmente a cobra coral falsa veio durante anos mudando suas cores para ficar mais parecida com a cobra coral verdadeira, e assim enganar os predadores para que eles não cheguem perto achando que podem ser envenenados e morrer.

Existe também mimetismo entre borboletas (para aparentar ter um gosto ruim), entre a salamandra e o tritão, as vespas e outros insetos, e até da orquídea, uma flor que imita uma abelha e até libera um cheiro parecido, para assim atrair zangões (machos das abelhas) e acelerarem sua reprodução, já que os insetos como as abelhas auxiliam na distribuição do pólen.

Mimetismo é diferente de camuflagem!

É preciso tomar muito cuidado com isso! Camuflagem é quando um animal tem as cores e texturas do seu corpo iguais às do ambiente, para que possam se esconder com facilidade e os demais animais não os encontrarem. Por exemplo, um bicho-de-pau vive nas árvores, e todo o seu corpo parecem gravetos, para que ele seja confundido com pedaços da árvore.

Isso é diferente de quando um animal se parece com outro que seja mais perigoso. Ele não fica escondido do predador, pode ser visto sim, porém o predador sente medo e não se aproxima.

Veja mais!