Publicado por Prof. Nathália Duque

As doenças causadas por fungos podem atingir tanto os humanos, como outros animais e plantas. Tornando-se assim grandes vilões.

No entanto, os fungos são seres vivos fundamentais para o ecossistema, pois eles fazem a decomposição de matéria orgânica. Dessa forma, se alimentam de restos de plantas e animais mortos, transformando-os em nutrientes para o solo.

Quando pensamos em um fungo, geralmente vem à nossa mente a imagem de um cogumelo. Mas, mal sabemos que essa é apenas uma parte do corpo de um dos tipos de fungo conhecido.

O tamanho da parte visível destes organismos varia de 7 a 9 centímetros, pois todo o restante do corpo se encontra imerso no substrato, rico em matéria orgânica que esses organismos decompõem. O resultado dessa decomposição é utilizado como alimento pelo fungo.

Micoses: doenças causadas por fungos

Infecções causadas por fungos são chamadas de micoses e na grande maioria são parasitas externos ou ectoparasitas.

Pés doentes

As micoses afetam pés, mãos, unhas e até mesmo o couro cabeludo (Foto: pixabay)

Existem mais de 100 espécies de fungos que podem causar essas infecções em nós, seres humanos. Os sintomas das micoses geralmente são feridas, fissuras, descamação, coceiras e manchas vermelhas ou esbranquiçadas.

A frieira (também conhecida como pé de atleta) é um exemplo de micose causada em nós. Pode aparecer em qualquer parte úmida do nosso corpo, principalmente entre os dedos dos pés e das mãos e na virilha.

Os fungos atacam a pele, as unhas, o couro cabeludo e, em alguns casos, podem invadir órgãos internos.

Outras micoses muito conhecidas são: o pano branco (também conhecida como micose de praia) que gera manchas brancas por todo o corpo, principalmente tórax e pescoço; a candidíase, que deixa manchas brancas principalmente nas genitálias, além de causar coceiras e vermelhidão; e o sapinho que costuma aparecer principalmente na mucosa de crianças e bebês.

Outra região do nosso corpo muito suscetível para proliferação de fungos são as unhas. Conhecidos como unheiros, esses fungos se instalam nas unhas dos pés ou das mãos, deixando-as avermelhadas, com manchas, deformadas, inchadas, inflamadas e doloridas.

Parasitando órgãos internos, a mais comum é a micose pulmonar ou blastomicose pulmonar, geralmente adquirida por pessoas com hábito de levar à boca ramos de vegetais.

Prevenção

Os fungos vivem em locais úmidos e por isso gostam de se instalar em algumas partes específicas do corpo que acumulam umidade.

Portanto, com apenas alguns cuidados básicos de higiene pessoal podemos nos livrar das micoses. Veja alguns exemplos:

  • Depois que tomar banho, sempre enxugar bem o corpo todo, principalmente regiões como a virilha e entre os dedos, que são os locais preferidos dos fungos
  • Evitar usar muita calça jeans o dia inteiro e outras roupas que te fazem transpirar muito
  • Quando for à praia ou piscina, não esperar a roupa de banho secar no corpo. Assim que sair da água, é bom tirar o biquíni, ainda molhado, e deixar ele secar fora do corpo. Nesses casos você precisa se enxugar bem (principalmente a virilha e entre os dedos) e vestir uma calcinha ou cueca seca
  • Não utilizar pentes, tesouras, alicates de unha e de cutículas sem ser esterilizados
  • Não mascar ramos de vegetação, principalmente capim, pois o indivíduo pode vir a desenvolver a micose pulmonar.

Tratamento

As medidas de higiene são muito importantes, porém, é preciso saber que as infecções causadas por fungos têm cura! Se você ou sua mãe perceberem algum dos sintomas citados acima, procurem um médico para realizar um tratamento adequado.

A micose de praia ou pano branco geralmente é tratada a base de cremes e loções corporais antifúngicas. Quando o quadro é mais avançado, faz-se necessário o uso oral de medicamentos.

A candidíase, doença causada pela Candida albicans, atinge principalmente a mucosa bucal e da região íntima. O tratamento é feito com pomadas antifúngicas, porém, em casos mais extremos, é feito o uso de medicação oral ou venosa.

A esporotricose, doença provocada por fungos que habitam os solos, as plantas, as folhas e as madeiras, também pode ser transmitida por arranhaduras de gatos contaminados.

O surgimento de lesões na pele pode se agravar e alcançar a corrente sanguínea, infeccionando assim, outros órgãos importantes, como pulmões, ossos, testículos e até mesmo o cérebro.

O tratamento da esporotricose é realizado com antifúngicos oral ou venoso, por um período de 3 a 6 meses.

A blastomicose pulmonar é mais comum em regiões rurais. A transmissão é feita pelo ar ou pelo contato com plantas contaminadas, principalmente quando o capim é levado à boca.

O fungo alcança os pulmões e a corrente sanguínea, acarretando em falta de apetite, tosse, falta de ar, emagrecimento e feridas na pele.

O tratamento é realizado com antifúngicos, podendo levar meses ou anos. Dependendo do estágio da doença, os pulmões podem não desempenhar suas funções normalmente e o paciente fica internando no hospital durante todo o tratamento.

Importância dos fungos

O Reino Fungi (fungos) reúne organismos que absorvem nutrientes do meio onde vivem. Para isso, liberam enzimas digestivas que atuam na matéria orgânica, degradando-as em moléculas simples que são absorvidas.

Os fungos mais conhecidos são bolores, mofos, leveduras, orelhas-de-pau e trufas. Também os cogumelos, como o champignon, o shitake e o shimeji, empregados na alimentação do ser humano.

Além desses, há os que são empregados na indústria de laticínios para a fabricação de certos tipos de queijo, como o roquefort e o gorgonzola.

Fungos também são empregados na produção de antibióticos, como no caso das espécies de Penicillium chrysogenum e do P. notatum, utilizados na produção de penicilina.

Existem fungos venenosos para o ser humano, capazes de causar a morte da pessoa que o ingere. Alguns deles produzem efeitos alucinógenos semelhantes aos causados pelo LSD (derivado do ácido lisérgico), provocando sérios danos ao sistema nervoso.

Os fungos podem atuar como parasitas de plantas e de animais. Em plantas, por exemplo, a doença conhecida por ferrugem afeta as plantações de café, trigo, entre outras.

Em animais, podemos citar as micoses que afetam a pele humana, o sapinho (infecção na boca), a candidíase vaginal (doença sexualmente transmissível) e a histoplasmose (infecção nos pulmões).

*Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

ROCHA, MANOEL REGINALDO et al. “Candidíase vulvovaginal: sintomatologia, fatores de risco e colonização anal concomitante“. Rev Bras Ginecol Obstet, v. 29, n. 1, p. 3-9, 2007.

LOGUERCIO-LEITE, Clarice et al. “A particularidade de ser um fungo–I. Constituintes celulares“. Biotemas, v. 19, n. 2, p. 17-27, 2006.

Veja mais!